Deprecated: iconv_set_encoding(): Use of iconv.internal_encoding is deprecated in /home/radionha/public_html/libraries/joomla/string/string.php on line 28

Deprecated: iconv_set_encoding(): Use of iconv.input_encoding is deprecated in /home/radionha/public_html/libraries/joomla/string/string.php on line 29

Deprecated: iconv_set_encoding(): Use of iconv.output_encoding is deprecated in /home/radionha/public_html/libraries/joomla/string/string.php on line 30
2 de Setembro de 2016
Print

2 de Setembro de 2016

Written by Adalberto Teixeira. Posted in Noticias

Estados Unidos

O olho do furacão Hermine tocou terra hoje na Florida, estado norte-americano ameaçado com inundações, deslizamentos de terras, tempestades e até tornados, informa o Centro Nacional de Furacões (CNH) dos Estados Unidos. O Hermine, de categoria 1 e que, segundo as autoridades, representa "perigo mortal", tocou terra na localidade de St. Marks (norte de Florida) minutos antes das 02:00 de madrugada, com ventos máximos de 130 quilómetros por hora. Este é o primeiro furacão a tocar terra na Florida desde o Wilma em 2005. De acordo como CNH, nas próximas horas o Hermine vai continuar a sua rota na direção nordeste pela Florida, entrando depois no estado de Georgia e, à noite, na Carolina do Sul, enquanto no sábado de manhã se espera que esteja na Carolina do Norte. O CNH prevê que o furacão vá perdendo força há medida que avança, até se converter numa tempestade tropical. Nos seus últimos boletins, o CNH estendeu os seus alertas a grande parte da costa Este dos Estados Unidos, incluindo pontos tão a norte como os estados de Nova Jersey, Virgínia e Delaware. O governador da Florida, Rick Scott, assegurou na quinta-feira que o Hermine representa um "perigo mortal" para os habitantes do norte do estado, recordando que se devem preparar, comprando água para três dias, e estar conscientes que o abastecimento elétrico pode falhar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O candidato presidencial norte-americano apoiado pelo Partido Republicano, Donald Trump, aterrou quarta-feira na Cidade do México para um encontro com o Presidente da República, Enrique Peña Nieto, no seguimento de declarações polémicas sobre os mexicanos. A visita esteve envolta em controvérsia devido a referências feitas pelo político norte-americano aos mexicanos, nas quais os chamou de "violadores" e criminosos. Poucas horas depois de ter garantido na Cidade do México que "os mexicanos são pessoas espetaculares", Donald Trump estava de volta aos EUA para um discurso sobre a imigração. Mas quem esperava que o candidato republicano às presidenciais de 8 de novembro mantivesse o tom conciliador que adotou ao lado do presidente Peña Nieto enganou-se. No Arizona, Trump prometeu construir um muro "lindo" na fronteira com o México, submeter a um "teste ideológico" todos os imigrantes que se candidatem a um visto de residência e criar uma força especial para deportar os imigrantes que já tenham sido condenados por um crime.

 

 

 

"As nossas prioridades vão incluir a remoção de criminosos, membros de gangues, ameaças de segurança, pessoas que ultrapassam o limite dos vistos, ofensas públicas -- ou seja, aqueles que dependem das benesses sociais ou causam um esforço excessivo à rede de segurança, juntamente com milhões de ilegais recém-chegados e pessoas que excedem o período autorizado de permanência e que vieram para cá ao abrigo desta administração corrupta", disse. Trump garantiu que, se eleito, não vai permitir a regularização de nenhum imigrante que entre no país ilegalmente: "A nossa mensagem para o mundo será esta: não podem obter estatuto legal ou tornarem-se cidadãos dos Estados Unidos ao entrarem ilegalmente no nosso país". "Não podem simplesmente entrar clandestinamente (...) e ficar à espera de ser legalizados", afirmou. "Segundo dados federais, há pelo menos dois milhões de criminosos ilegais [...] No primeiro dia, na minha primeira hora como presidente, estas pessoas desaparecem", exclamou Trump. Defendendo a mudança de liderança em Washington como única solução para o problema da imigração ilegal, o milionário nova-iorquino recordou que, quando os político falam em reforma da imigração, estão a falar em "amnistia [para os 11 milhões de ilegais], fronteiras abertas e salários mais baixos". E enumerou ainda os casos de americanos assassinados por imigrantes ilegais, como Sarah Root, de 22 anos. E aproveitou para culpar as políticas "tolas e fracas" do presidente Barack Obama e de Hillary.

 

 

 

 

 

 

 

Donald Trump, desafiou no domingo a sua rival, Hillary Clinton, a publicar o seu historial médico detalhado, para responder aos rumores de que a democrata esconde alegados problemas de saúde. "Creio que ambos os candidatos, a desonesta Hillary e eu, devem publicar historiais médicos detalhados. Não tenho qualquer problema em fazê-lo. Hillary?", escreveu Trump na sua conta de Twitter, sem que tenha, até agora, recebido qualquer resposta. Os apoiantes de Trump têm questionado a saúde de Clinton, de 68 anos, nas redes sociais e em debates políticos. Para a ex-secretária de Estado, estes rumores fazem "parte de uma estratégia louca" de Donald Trump, como apelidou recentemente ao canal ABC. O médico de Clinton assegurou repetidamente que o seu estado de saúde é adequado para exercer o cargo de Presidente dos Estados Unidos. Trump publicou em dezembro uma carta do seu médico que assegurava que o magnata seria "a pessoa mais saudável a ser eleita Presidente" na história do país. Este fim de semana essa carta foi alvo de controvérsia depois de o médico confessar à NBC News que a escreveu em cinco minutos. "Não acredito que esteja em melhor ou pior forma que qualquer pessoa que se exercita todos os dias. Não fuma, não bebe - e essa é simplesmente a maior vantagem que se pode ter -- e tem um bom historial familiar", declarou o médico Harold Bornstein.

 

 

 

 

 

 

 

O primeiro voo comercial entre os Estados Unidos e Cuba desde 1961 descolou quarta-feira do Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale/Hollywood, no estado norte-americano da Florida (sudeste), em direção a Santa Clara, na zona centro da ilha caribenha. Com 150 pessoas a bordo, o Airbus A320 da companhia aérea de baixo custo norte-americana JetBlue Airways descolou pouco depois das 10:00 hora local. Menos de uma hora depois, o aparelho aterrou em Santa Clara, cerca de 280 quilómetros a leste da capital cubana (Havana). A bordo do Airbus A320 estavam turistas, jornalistas e responsáveis governamentais, incluindo o secretário norte-americano dos Transportes, Anthony Foxx. A entrada do aparelho na pista de descolagem foi marcada por um arco formado por jatos de água, uma forma de assinalar um voo inaugural. O voo 387 da JetBlue Airways é o primeiro dos 110 voos diários diretos para Cuba que foram aprovados este ano pelo Departamento de Transportes norte-americano. Estes voos surgem no âmbito do restabelecimento das relações diplomáticas entre Washington e Havana em julho de 2015, velhos inimigos da Guerra Fria que viveram de costas voltadas durante mais de 50 anos e que estão separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida. A 1 de maio, o primeiro navio de cruzeiro a ligar EUA e Cuba pela primeira vez em 50 anos partiu de Miami com 700 pessoas a bordo.

 

 

 

 

 

 

 

Uma explosão foi registada esta quinta-feira no Kennedy Space Center, que fica no Cabo Canaveral na Florida, EUA, onde a SpaceX - companhia privada de exploração espacial - estava a preparar o lançamento de um foguetão. Através do Twitter, a SpaceX confirmou o acidente, que ocorreu pelas nove da manhã locais (14.00 em Lisboa) durante um teste de rotina pré-lançamento: uma "anomalia na plataforma de lançamento resultou na perda de um veículo e da carga do mesmo. Por ser procedimento padrão, a plataforma estava vazia e não houve feridos".

 

 

 

 

 

 

 

Cinco pessoas morreram numa colisão entre dois pequenos aviões comerciais, no Alaska, esta quarta-feira. As duas aeronaves, um Cessna 208 e um Piper, chocaram em pleno voo, segundo avança a CNN, perto de uma localidade chamada Russian Mission. O Cessna pertencia a uma companhia aérea local e o Piper era operado por uma empresa de turismo. As circunstâncias do acidente ainda não são conhecidas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cabo Verde

 

 

 

 

 

 

Duas mulheres perderam a vida na tarde desta quarta-feira,31, em Fazenda, Cidade da Praia, quando a pala, com mais de 15 metros de comprimento de um edifício sitio na Avenida Cidadede Lisboa desabou sobre um grupo de vendedeiras ambulantes que se encontravam no local.Jaqueline Mendes, de 30 anos, e Teresa Ribeiro, de 40, residentes no bairro de Achadinha, foram transportadas de imediato para o Hospital Agostinho Neto (HAN), mas chegaram praticamente sem vida, segundo fontes da Polícia Nacional. Testemunhas oculares alegam que estas duas vítimas são vendedeiras ambulantes e que todos os dias expõem seus produtos à porta deste edifício, "mas por azar, a pala da varanda do edifício desabou no momento em que se encontravam ali sentadas".

 

 

 

 

O Governo acaba de autorizar a Direcção Geral do Tesouro a conceder um aval à Transportadora Aérea de Cabo Verde (TACV) para garantia de um contrato de financiamento no valor de 100.000.000$00 (cem milhões de escudos) a ser firmado com o Banco Cabo-Verdiano de Negócios (BCN). Este pacote vai garantir o cumprimento das responsabilidades da TACV nos contratos firmados junto da EVERJETS e da ELIX, justifica o Executivo numa resolução, publicada no Boletim Oficial.O Governo justifica ainda que esta operação junto do BCN vai permitir que a TACV continue a operar normalmente. Destaca também os efeitos positivos deste financimento na economia nacional e no desenvolvimento do turismo em Cabo Verde , dinamizando o mercado interno. "Reconhecendo o manifesto interesse público da actividade da empresa bem como a importância desempenhada na unificação do território nacional, bem como de ligação do país às suas comunidades emigradas, reúnem-se todas as condições exigíveis para a concessão de um aval.", lê- se na resolução publicada no BO. O prazo do aval é de seis anos, podendo ser prorrogado mediante autorização .

 

 

 

 

 

 

 

As dunas da Boa Vista estão a desaparecer das colinas em volta da cidade de Sal-Rei e que sustentam a extensa praia do Estoril. Esse fenómeno visível a olho nu é causado pelo boom das construções turísticas e de residências privadas – dizem os naturais da ilha preocupados. O mar que banha a turística praia do Estoril ameaça o bar-clube construído pelo malogrado windsurfista François Guy há coisa de quinze anos. Nos dias de forte ondulação, a infraestrutura é literalmente sacudida pelo embate das águas nas paredes e não raras vezes há respingos que sobem até à varanda de madeira, ornamentada com espreguiçadeiras e situada a uns três metros de altura. O avançar do mar nestes quinze anos torna-se mais real quando se comparam as distâncias entre a orla do mar e o bar, no passado e hoje. Na altura da sua construção, o bar ficava a mais de vinte metros de distância da preia-mar e para molhar o pé ou surfar tinha de ser percorrida essa distância em alguns minutos sobre a areia branca e macia. Hoje, se o tempo está muito agitado e o mar avança praia-dentro, quem quer salta do alpendre directo para a água.

 

 

 

 

 

 

 

 

As autoridades protetoras das tartarugas marinhas na ilha do Fogo e Ilhéus do Rombo, estão preocupados com o aumento do abate desta espécie em vias de extinção. Paulo Pina, um dos dinamizadores e coordenador da iniciativa, revelou a este semanário que há registo de capturas e matanças de um número considerável da espécie caretta-caretta, facto que, segundo diz, mostra que as medidas adoptadas em Cabo Verde para a defesa desses animais têm sido insuficientes. "Devemos relembrar que Cabo Verde tem a terceira maior população do mundo das tartarugas, sendo ultrapassada apenas pelos Estados Unidos da América e Omã (Golfo Pérsico)", frisa Pina para mostrar o papel que este arquipélago joga na sobrevivência das tartarugas a nível mundial.Segundo este ambientalista, as medidas de conservação actuais prevêem a protecção e monitorização das praias com recurso ao voluntariado e autoridades diversas, mas isso não tem impedido actos de crueldade sistemática contra a sobrevivência das tartarugas. Como diz, nas últimas semanas tem havido uma forte afluência das tartarugas caretta-caretta às praias da ilha do Fogo e dos ilhéus do Rombo, mas tem aumentado também o nível de captura. "No passado fim-de-semana, a nossa organização esteve de visita aos ilhéus, acompanhada da Polícia Nacional, e constatámos in loco muitas carcaças de tartarugas abandonadas, o que nos leva a crer que as pessoas estão a caçá-las desenfreadamente e sem terem a noção da sua importância para a biodiversidade e os ecossistemas terrestre e marinho. Aliás, quanto maior a afluência das tartarugas nas praias sem vigilância, maior é a probabilidade de caça", aponta. De acordo com Paulo de Pina, as praias de Fonte Bila, Nossa Senhora da Encarnação, Salinas, Tinteira e Mosteiros, na ilha do Fogo, são as mais visitadas pelas tartarugas, pelo que, na sua opinião, merecem ser vigiadas com mais rigor. Entretanto, frisa que a falta de verbas dificulta o destacamento de vigilantes voluntários para esses locais. A Polícia Nacional, segundo Pina, tem dado o seu contributo nas campanhas de protecção das tartarugas, disponibilizando os seus agentes fiscais. Estes, salienta o ambientalista, já surpreenderam vendedores de carne em flagrante por diversas vezes. Para ele, isto acontece porque há quem compra, sinal de que a sociedade cabo-verdiana ainda não se consciencializou sobre a importância da preservação dessa espécie marinha. O preço da carne varia entre 300 e 1000 escudos o quilo", informa.

 

 

 

 

A petrolífera Enacol foi a escolhida para abastecer de combustível o navio "C.Freedom" com três mil MT de Fuel e 300 MT de MGO (Gasóleo Marinho). Trata-se nada mais, nada menos do que a maior operação de bunkeging realizado este ano na Baía do Porto Grande, em São Vicente.Em nota, a Enacol explica que está reforçando a sua competitividade no mercado do Bunkering, adoptando novas estratégias no sentido de aumentar a sua quota de mercado e assim consolidar a Liderança neste segmento. "É com satisfação que acompanhamos um fluxo considerável de navios de grande porte, na Baía do Porto Grande do Mindelo, nos últimos meses e é igualmente com satisfação que vimos reconhecidos os nossos produtos e serviços, uma vez mais, ao sermos a escolha para o abastecimento de combustível ao navio "C.FREEDOM" com 3.000 MT de Fuel e 300 MT de MGO", frisou. A petrolífera informa que, pelas quantidades de produtos abastecidos, esta é a maior operação de bunkering, realizada este ano. Termina dizendo que o abastecimento foi efectuado com todas as condições de segurança, através dos navios Baía e Dragoeiro, ao largo, na Baía do Porto Grande.